Nos acompanhe - Assine o nosso feed e a nossa newsletter

Gostou da INFORESGATE? Nos Acompanhe - Assine o nosso FEED RSS ou a nossa newsletter! E fique sempre informado! :)

Assinar o feed

terça-feira, 31 de maio de 2011

Open Office x BROffice x LibreOffice x Go-OO

Vou tentar sanar algumas dúvidas dessas suítes gratuítas de escritório e que substituem tranquilamente o Office da "MICO$OFT", desde que não se utilize nada muito elaborado como as macros do excel em várias planilhas integradas, qualquer uma das suítes mencionada substituem o Office tranquilamente e em alguns casos, além de economizar na licença, agrega mais funções ao seu ambiente seja em casa, no escritório ou na empresa.

OpenOffice - A origem do OpenOffice.org remonta ao final da década de 90, quando a empresa alemã Star Division, que desenvolvia desde meados dos anos 80 um pacote de escritório chamado StarOffice, foi adquirida pela empresa americana Sun Microsystems.

Em 1998, a Star Division decidiu tornar o StarOffice, que estava na versão 5.0, um programa gratuito. Então ela passou a disponibilizá-lo gratuitamente aos seus usuários. Interessada no programa, a Sun comprou a Star Division no ano seguinte. O lançamento da versão 5.2 do StarOffice, já pela nova proprietária, se deu em junho de 2000. Pouco tempo depois, no mês de outubro do mesmo ano, a Sun Microsystems liberou o código fonte da maioria dos módulos do StarOffice para a comunidade de código aberto, lançando assim o projeto OpenOffice.org. 

A Sun então passou a desenvolver dois pacotes de escritório: o OpenOffice.org, que era um software livre, gratuito e de código aberto; e o StarOffice, que a partir da versão 6.0 passou a ser desenvolvido com base no OpenOffice.org e se tornou um software proprietário, sendo comercializado pela Sun.

O projeto OpenOffice.org ganhou o apoio de diversas organizações do mundo tecnológico, como Novell, Intel, Red Hat, Debian, Mandrake, Conectiva, além de importantes contribuições de desenvolvedores independentes, ONGs e agências governamentais. Essa comunidade, formada por milhares de programadores e usuários do mundo inteiro, é quem desenvolve o pacote desde então. O desenvolvimento do OpenOffice.org, no entanto, não é feito apenas pelos colaboradores. A Sun coordena as atividades da comunidade e ainda é a que mais contribui para o desenvolvimento do projeto.

Desde o lançamento da versão 1.0 do OpenOffice.org, em 2002, o pacote de programas de escritório já teve mais de 300 milhões de downloads, sendo que destes 100 milhões ocorreram após o lançamento da versão 3.0, em outubro de 2008. Atualmente, o OpenOffice.org se encontra na versão 3.2, lançada em fevereiro de 2010.

OpenOffice.org no Brasil - o BrOffice.org - Estima-se que foi em 2001 que surgiu a primeira proposta de tradução do OpenOffice.org para o português brasileiro, quando um ex-funcionário da Conectiva Linux se candidatou a coordenar a tradução da suíte, dando seu nome à coordenação da equipe do projeto de internacionalização do OpenOffice.org. Em fevereiro de 2002, Raffaela Braconi, então líder dessa equipe, repassou a função de coordenação da tradução para Claudio Ferreira Filho, que já vinha traduzindo o OpenOffice.org de forma independente e paralela.

Surgiu então o OpenOffice.org Projeto Brasil. Com o reconhecimento do seu trabalho, outras pessoas se juntaram à equipe e desde então o projeto não parou de crescer, passando a desenvolver, além da tradução da interface, funcionalidades específicas para a versão brasileira do pacote. Foram criadas as listas de discussão, o projeto de documentação, o Rau-tu, o projeto Extras e finalizadas as traduções das aplicações e da ajuda do software.
Em 2004, devido a problemas com a marca "Open Office", já registrada em 1996 pela BWS, uma empresa de informática do Rio de Janeiro, foi necessário mudar o nome da comunidade e do programa.

Após coletar diversas sugestões dos membros da comunidade, procurando manter uma relação entre o projeto OpenOffice.org e o público brasileiro e, principalmente, verificando a disponibilidade junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) para evitar problemas futuros de registro, decidiu-se que no Brasil o projeto OpenOffice.org seria referenciado pelo nome de BrOffice.org. Em janeiro de 2006 foi anunciado oficialmente o lançamento da ONG BrOffice.org, que passou a organizar as atividades do antigo OpenOffice.org Projeto Brasil.

Não apenas o Brasil teve problemas legais com a marca OpenOffice.org. Em outros países, como a Holanda, por exemplo, a comunidade OpenOffice.org também enfrentou problemas com o registro da marca. Nesses países, no entanto, os problemas foram contornados, enquanto no Brasil a solução só se deu com a adoção de um novo nome. Assim, o Brasil se tornou o único país no mundo no qual o OpenOffice.org recebeu uma denominação específica, de modo que o pacote OpenOffice.org não é mais distribuído oficialmente no Brasil, sendo em seu lugar disponibilizado o BrOffice.org.

Apesar da mudança de nome, o BrOffice.org continuou representando o OpenOffice.org, apresentando todas as características e recursos deste. As diferenças básicas entre os dois consistem basicamente nas adaptações que foram incluídas no BrOffice.org para tornar o pacote de escritório mais próximo do dia-a-dia do usuário brasileiro. Não obstante, a comunidade BrOffice.org desenvolve diversos outros projetos, entre eles os que serão tratados aqui neste artigo: o verificador ortográfico VERO, o dicionário de sinônimos DicSin e o corretor gramatical CoGrOO.

Dentre estes projetos, merece destaque o VERO, responsável pelo desenvolvimento e atualização dos dicionários de palavras que são usados pelo BrOffice.org para realizar a verificação ortográfica dos documentos. Graças a esse projeto, o BrOffice.org possui hoje a melhor correção ortográfica para a língua portuguesa na vertente brasileira, visto que é a única que já segue o Acordo Ortográfico de 1990 em conformidade com as novas orientações da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Além do dicionário para o Português do Brasil, a equipe do VERO também desenvolve dicionários para o Português de Portugal e para o Espanhol do Chile, que podem ser baixados gratuitamente no site do projeto.

A título de curiosidade, gostaria de finalizar informando que o logotipo do BrOffice.org, assim como o nome, foi desenvolvido de forma a manter uma relação entre o OpenOffice.org e o Brasil: perceba que a marca obedece à cor azul do projeto central, presente também na nossa bandeira, mas agrega o verde, que não está presente no logotipo original. Além disso, as aves, gaivotas no desenho original, ganharam linhas mais dinâmicas, transformado-se nas aves brasileiras chamadas "trinta-réis", presentes em todo nosso litoral.

LibreOffice - Em 21 de janeiro de 2010 a compra da "Sun" pela "Oracle" foi aprovada pelo órgão regulador antitruste da União Europeia.

Em 11 de fevereiro de 2010, o OpenOffice.org 3,2 foi lançado, proporcionando

maior rapidez na inicialização dos aplicativos Calc e Writer,
aprimoramento no editor de planilhas Calc,
suportando a fonte Open Type,
com melhorias no suporte ao OpenDocument Format (ODF) e a documentos do Microsoft Office Open XML

Entretanto, a empresa demonstrou pouco interesse no programa, pois

houve poucas atualizações durante o ano e
anunciou que estaria lançando um pacote similar baseado na nuvem, mas sob uma licença proprietária.

Assim, em 28 de setembro de 2010, um grande grupo de desenvolvedores decidiu se desvincular da Oracle. Criou-se um "fork", ou seja, uma continuação independente do OpenOffice, demonstrando que ninguém controla o Software Livre, só a própria comunidade que, quando se sente ameaçada, se mobiliza para manter o espírito de liberdade vivo.

O novo projeto foi denominado LibreOffice, até porque a Oracle detém os direitos sobre o nome OpenOffice.org, atitude adotada para garantir a liberdade criativa dos responsáveis pela suíte.



É importante notar que a mudança tem apoio de grandes grupos: Free Software Foundation, Open Source Initiative, Google, Canonical, Red Hat, Novell, fundação GNOME e outras.

Também foi criada uma fundação independente para cuidar do projeto, ou seja, para ser "The home of LibreOffice", a The Document Foundation.

Uma outra mudança ocorrida na organização brasileira foi decisão de extinguir a ONG responsável pela manutenção do projeto até 05/2011, conforme assembleia realizada em 17/03/2011

O que efetivamente deve mudar, na prática, é apenas o nome da suíte, que manteve e melhorou as mesmas características das versões anteriores.





Pessoas que utilizam a suíte nada têm a temer pois a comunidade independente de desenvolvedores está animada com as possibilidades para o futuro e para a nova suíte.

Aliás essa comunidade esá dando provas de muito trabalho e eficiência pois já foram lançadas as atualizações 3.3.1 e 3.3.2.

A versão atual do pacote LibreOffice pode ser copiada gratuitamente aqui.

ASSIM O BROFFICE agora é o mesmo LIBREOFFICE.

Go-OO - É um pacote de aplicativos relacionados ao Office, com ótimas melhorias e que esta totalmente reformulado. A interface é mais familiar que as versões do OpenOffice, com elementos gráficos bonitos e intuitivos. Também há uma boa integração de interface com o Linux e demais idiomas que possuem letras diferentes, como o mandarim.

Go-OO

Devido a várias mudanças relacionadas a otimização, o Go-OO se tornou um aplicativo com uma leveza muito grande em relação a quantidade de memória utilizada e necessidade de processamento para abrir os documentos, o que facilita a vida dos usuários. Além disso, o Go-OO encoraja a participação e edição de seus aplicativos por qualquer pessoa.


Os desenvolvedores do Go-OO acreditam que liberar a modificação dos aplicativos é fundamental para o futuro da computação. O programa apresenta as mesmas funções encontradas nos aplicativos mais básicos do Microsoft Office. Com ele, você será capaz de editar seus textos, planilhas, apresentações de slides, cálculos e desenhos livres, de modo muito semelhante aos seus concorrentes.
http://go-oo.org/img/libreoffice-logo.png 

A  suite Go-OO compartilha muito de seus objetivos e filosofia com o projeto da The Document Fountadion, a LibreOffice. A Go-OO apoia a LibreOffice desde a sua criação e estão em processo de fusão a maioria dos patches overs, bem como a migração da infra-estrutura para The Document Foundation. Mais adiante, o projeto Go-OO será descontinuado em favor da LibreOffice
A suite Go-oo já é considerada obsoleta em função do lançamento da fantástica LibreOffice. Leia aqui.
A suite brasileira BrOffice.org continua mais forte, ela apoia a The Document Foundation, as novas versões serão geradas a partir de LibreOffice.
* fonte: Go-OO
Em SUMA, só existem atualmente duas suítes de escritório em desenvolvimento pela comunidade o OPENOFFICE (pois recentemente a ORACLE devolveu o mesmo para comunidade) e o LIBREOFFICE (BROffice e Go-OO se fundiram ao LibreOffice)...e vâmo q vâmo...rs... 

A leitura é longa...mas espero ter sanado muitas dúvidas...

Abraços,

Ricardo Aguero

Um comentário:

  1. Obrigado pelo post! Esclareceu minhas dúvidas! Vlw!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Info Resgate Headline Animator

Ocorreu um erro neste gadget